Viva o golfe maio 2022

Reprodução/Internet

A grande paixão pelo golfe, que pratico há mais de seis décadas, tem me levado nos últimos 22 anos escrever os meus artigos, procurando destacar aos olhos dos amadores praticantes como eu, o lado mais humano que este esporte de alta precisão tem. Se os virtuosos profissionais do PGA e demais Tours ao redor do mundo, trazem a nós a técnica refinada dos golpes precisos, suas capacidades atléticas, seus enormes treinamentos, e acima de tudo seus poderes mentais, o lado humano dos seus problemas individuais, nos aproxima muito e nos encoraja a ser menos exigentes com nós mesmos. Se aqueles profissionais que treinam 5 a 8 horas por dia, tem seus momentos terríveis, porque nós treinando muito pouco, jogando uma ou duas vezes por semana, queremos ter performances além da nossa capacidade. Eu faço esta ressalva pois abaixo vou comentar alguns dos acontecimentos do último torneio do 104º PGA Championship, que terminou com a vitória no playoff do Justin Thomas, no último dia 22 deste mês. Neste mês quero fazer uma homenagem a um grande jogador brasileiro que nos deixou e ainda, ressaltar o jogo e atitude de uma futura campeã nossa.  

PGA TOUR

Reprodução/Internet

Como comentei acima, a 104ª edição do PGA Championship, realizada em Tulsa, Oklahoma, no Southern Hill Country Club, trouxe algumas surpresas pouco agradáveis. A primeira delas foi a desistência do Tiger Woods, que após passar no corte, por apenas uma tacada, conseguido graças aos 3 putters incríveis embocados nos últimos 3 buracos, lembrando o Tiger do ano 2.000, que embocou quase todos os putters que precisou nos momentos mais difíceis. Se arrastando no campo na terceira volta, fez o segundo pior resultado em toda sua brilhante carreira profissional, com 9 acima do par. A forma como ele deixou este último torneio deixa o mundo do golfe muito apreensível, se ele terá condição física de jogar os dois próximos majors. O U.S Open, que será jogado no The Country Club Brookline, em Massachusetts (um campo fundado em 1882), nos dias 16 a 19 de junho próximo e ainda, no The Open que este ano volta ao lendário do campo ST. Andrews Old Course, nos dias 14 a 17 de julho futuro. A segunda surpresa desagradável, ficou por conta do jogador chileno Mito Pereira, que estava jogando o seu segundo major, fazendo 68 no primeiro dia, 64 no segundo dia e 69 no terceiro. Iniciou o último dia com 9 abaixo ao par, ficando com 3 tacadas do Will Zalatoris, segundo colocado e 7 tacadas na frente do ganhador Justin Thomas. Jogando um golfe de primeiríssima qualidade nos três primeiros dias, algo surpreendente para um jogador que  há um ano atras estava ainda na divisão de acesso do Korn Ferry Tour, chegou ao buraco 18 do ultimo dia com uma tacada a frente do líder na sede Justin Thomas e duas a frente do Zalatoris, quando contrariando as decisões de seus oponentes, que bateram uma madeira 3 do tee dada as características do buraco, decide bater uma drive e acaba executando um péssimo swing jogando a bola no córrego lateral. A seguir penalizado bate a terceira tacada e erra o green, em função do seu nervosismo e estado mental, o que ocasionou um double bogey tirando-o até do playoff que um simples bogey o levaria. Obviamente ele ficou frustrado com o que aconteceu, bem como toda a grande torcida latino-americana, que estava torcendo muito por ele. Todos nós esperamos que ele supere este episódio da melhor forma possível, e volte em breve apresentar o seu belo jogo. Mas nem tudo foi decepção, o playoff decidido pela soma dos resultados de 3 buracos, como manda a tradição do PGA Championship, foi vencido pelo Justin Thomas, por uma tacada, deixando claro que o golfe neste nível requer mais que um bom jogo técnico.  E deu a ele o segundo título no PGA Championship quatro anos depois. 

Uma homenagem e despedida no Golfe Brasileiro

Neste último mês perdemos um dos grandes jogadores do golfe brasileiro, Fernando Barcellos, patriarca da segunda mais importante família do golfe brasileiro após os Gonzalez. O gaúcho Fernandão, como era chamado, foi por muito tempo um grande jogador, querido no Brasil inteiro dentro e fora do campo. Sua paixão pelo golfe, a qualidade do seu jogo e acima de tudo sua enorme elegância, o transformou num ícone. Tive o prazer de acompanhar na minha juventude grande jogos dele e o privilégio de conhecer seus filhos, que sem dúvida herdaram a paixão pelo golfe, a simpatia, o profissionalismo e a elegância. Ana Beatriz uma amiga incrível, se tornou uma excelente arquiteta de campos de golfe, Nico se tornou um grande coach e o Rafa um dos melhores jogadores profissionais do país. Gostaria de deixar registrado que me junto a uma legião de golfistas de norte a sul do país, nos sentimentos a toda família, que com certeza levarão em frente o legado do “Fernandão” por muitas gerações.

Bella Simões – jogo e atitude

Antes de falar desta brasileirinha de 9 anos, gostaria de agradecer de público, ao Felipe Almeida, outro incansável lutador pelo golfe brasileiro, especialmente junto as crianças, que colocou em nosso grupo (For Avid Golfes Only) o vídeo da Bella Simões, que estou anexando também neste artigo. Bella uma menina que ganhou o campeonato mundial dos 7, 8 e 9 anos, dá uma entrevista incrível sobre sua paixão pelo esporte e seus objetivos futuros de uma forma alegre, inteligente, irreverente e muito focada, que se só tivéssemos o áudio, acharíamos que ela teria o dobro da idade que tem. Bella se junta ao Bento, outro destaque brasileiro do golfe infantil mundial, para nos dar esperanças de em breve termos mais compatriotas se destacando nos principais tours de golfe do mundo. 

Comentários

WORDPRESS: 0
Já está indo embora :´(
Assine nossa newsletter antes, e receba as noticias de Alphaville e região ; )