Viva o golfe | janeiro 2022

Reprodução Internet

Começamos este primeiro mês do ano, novamente com a preocupação da Covid, agora com a variante ômicron, que parece tomar proporções muito maiores, especialmente após as festas de fim de ano. Mas esta preocupação para nós golfistas vai ficar desta feita para nossos trabalhos e para nossas casas, porque aprendemos nestes últimos dois anos que um dos melhores locais para evitar a contaminação sem deixarmos nossas atividades esportivas é o campo de golfe. Sem falar também que nós paulistas temos também um dos maiores percentuais de vacinados do mundo. Portanto, não temos desculpas para não jogar muito golfe neste novo ano. E segunda parte da temporada do PGA Tour, 2021/2022 que iniciou em setembro passado, promete muito pois até agora somente o jovem norueguês Viktor Hovland, conseguiu a proeza de ganhar dois torneios, o World Wide Tecnology Championship at Mayoba no Mexico no início de novembro e o Hero World Challenge nas Bahamas no início de dezembro. Além do Viktor, que junto com o americano Colin Morikawa lideram uma moçada sedenta por novas conquistas, vamos ter alguns talentos extraordinários como o MacIlroy, Spieth, Justin Thomas, Hideki Matsuyama, Brooks Koepka, J Rham, e entre outros que estão jogando muito bem. Tem também uma esperança e um desejo do mundo do golfe, a volta em alguns torneios do maior de todos os tempos Tiger Woods, que mesmo depois de 10 cirurgias e com muita dificuldade de caminhar, deu um show no torneio de pais e filhos (PNC Championship) no final do ano que terminou, onde jogou com o seu filho Charles de 12 anos, simplesmente terminando com 25 abaixo ao par para ficar em segundo lugar, deixando duplas muito mais fortes para trás. Já do lado das mulheres, no hoje incrível LPGA Tour, que a cada ano vem apresentando torneios e disputas muito acirradas, vamos testemunhar se a jovem norte americana Nelly Korda vai repetir a temporada passada, ou se as asiáticas vão voltar a dominar, e ainda, se a jovem veterana neozelandesa Lydia Ko, que brilhou há tempos atras, vai voltar com tudo nesta temporada. Já entre nós vamos torcer muito pelo nosso profissional Alexandre Rocha, para que ele tenha nesta temporada um bom desempenho no Korn Ferry Tour, divisão de acesso do PGA, para que em 2023 tenhamos um patrício nosso no principal Tour. Espero também que o golfe profissional brasileiro, consiga um calendário de torneios, que permita uma elevação do nível técnico dos nossos profissionais e ainda, que se criem condições para que melhorem os prêmios. 

PGA TOUR

Reprodução Internet

A temporada começou em setembro, como comentamos acima, mas são nos dois primeiros meses do novo ano que o PGATour, vai para o Havaí e a costa oeste dos Estados Unidos, e como sempre apresenta algumas surpresas. Nos primeiros torneios não faltou emoção para os amantes do golfe. No Sentry Tournament of Champions realizado de 6 a 9 de janeiro, no Plantation Course em Kapalua Havaí, a disputa pari passu entre o australiano Cameron Smith, que parece mais surfista que golfista pelo seu look, com o espanhol John Ham, foi eletrizante até o último buraco, ficando o Cameron com 34 abaixo o par e o John com 33 abaixo. Em mais de cinco décadas no golfe nunca tinha visto dois jogadores embocarem tanto putters, em muitos momentos os dois riam com as múltiplas façanhas. Os dois jogaram em média 8 abaixo par todos os dias, isto é no mínimo uma loucura esportiva! Já no torneio seguinte, Sony Open também no Havaí, realizado de 13 a 16 de janeiro, o grande destaque fica por conta do japonês Hideki Matsuyama que ganhou do americano Russel Henley, no primeiro buraco do play off, depois de um empate em 23 abaixo nos quatro dias do torneio. O japonês mostrou a todos presentes e espectadores em todo mundo, uma agressividade dos grandes campeões, a fazer no buraco 18 um eagle fantástico. O seu opositor tinha dado o drive numa Cross banca, o que teoricamente o deixava em dificuldade, mas o Matsuyama, não quis saber, bateu uma tremenda madeira 3 de 276 jardas direto para a bandeira. Ele já é o maior jogador asiático da história do golfe, e cada nova vitória registra uma marca que poderá deixá-lo entre os grandes do PGA Tour.

NOSSO GOLFE DE CADA DIA

Foto: Eduardo Prata/ Arquivo pessoal

Por indicação de um eleitor descobri o casal de brasileiros do Espírito Santo, Lu e Eduardo Prata, ambos se declaram viajantes profissionais, ela funcionária pública aposentada e ele engenheiro agrícola também aposentado, ele golfista amador fanático e ela aventureira por natureza. Compraram um motorhome e decidiram jogar golfe nos 117 campos existentes no Brasil, e começaram a aventura no dia 02 de janeiro de 2022 e esperam levar um ano para correr todos os campos. Boa viagem a LU e ao Prata.

 

Comentários

WORDPRESS: 0
Já está indo embora :´(
Assine nossa newsletter antes, e receba as noticias de Alphaville e região ; )