Sexo sem dor e com muito prazer!

Reprodução/Internet

Amiga, se existe qualquer indício de dor na relação sexual é sinal de que algo não vai bem.

É natural que nossa mente busque o prazer e fuja da dor, e com o sexo não é diferente, quando existe dor, ele passa a ser evitado, trazendo sérias consequências. Sua autoestima despenca, sua qualidade de vida empobrece e surgem sentimentos negativos de medo, culpa, incapacidade e frustração. 

Com certeza, isto irá impactar negativamente na sua relação com o parceiro, comprometendo a vida sexual, especialmente, quando não há abertura para conversar sobre o assunto, o que acaba afastando o casal.

Não é normal sentir qualquer desconforto na hora da relação sexual!

Devido a aspectos culturais, familiares ou religiosos, muitas mulheres sentem dor desde a primeira relação sexual e acreditam ser normal, que essa sensação dolorosa faz parte da relação íntima e acabam negligenciando a procura por um tratamento.

Dispareunia é o nome da dor coital, classificada como superficial quando é sentida na entrada da vagina, ou profunda, ao longo do canal vaginal, percebida nos movimentos penianos. A dispareunia acontece por questões físicas ou emocionais, desta forma, se sentir dor (ardência, queimação ou cólica), durante ou após o ato sexual, você deve imediatamente consultar um ginecologista. O tratamento específico será recomendado após alguns exames como: ultrassonografia pélvica e transvaginal, Papanicolau, exame de urina e outros que o médico achar necessários.

As principais causas físicas estão relacionadas a falta de lubrificação natural ou ressecamento vaginal em consequência da menopausa, parto recente, amamentação, uso de medicamentos que afetam os níveis de hormônios; infecções ou inflamações genitais como: herpes, candidíase, endometriose, cistite, miomas; irritação dermatológica que desequilibra a flora vaginal; tratamentos oncológicos (rádio e/ou quimioterapia) ou o vaginismo, que consiste na contração involuntária dos músculos da parede vaginal.

Já as causas psicológicas ou emocionais, geralmente aparecem nos históricos de abuso sexual, traumas ou desrespeito as relações não consentidas, que ocorrem entre parceiros casados, nos transtornos como: estresse, depressão ou ansiedade; na educação ou crenças religiosas muito rígidas, na ausência de desejo sexual pelo parceiro; insegurança ao corpo e problemas de autoestima.

Esses fatores contribuem para que a mulher não se sinta relaxada no momento da relação sexual, dificultando a lubrificação vaginal e, consequentemente, provocando dor e desconforto. Neste caso, você deve procurar uma terapia sexual, pois apenas o tratamento médico não irá resolver o problema.

Como amenizar este desconforto

Use e abuse dos lubrificantes e hidratantes íntimos, e invista mais tempo nas preliminares, contudo, o mais importante é descobrir a origem da dor. Não hesite em buscar ajuda especializada e jamais esqueça: viver feliz com sua sexualidade é seu direito!

Se tiver alguma dúvida ou dificuldade, pode me enviar uma mensagem pelo Instagram: @magamenezes.oficial.

Comentários

WORDPRESS: 0
Já está indo embora :´(
Assine nossa newsletter antes, e receba as noticias de Alphaville e região ; )