PET. Eu amo o meu amigão. Eles fazem parte da família

O importante papel dos animais de estimação para a nossa saúde mental, emocional e física - e adeles também

É O BICHO
O vínculo entre humanos e animais domésticos nunca esteve tão forte. Uma pesquisa da Fundação Affinity, do Departamento de Psiquiatria da Universidade Autônoma de Barcelona, revelou que para oito em cada dez pessoas no mundo, seu cão é o motivo para se levantar da cama todos os dias.

O Brasil tem hoje mais cachorros do que crianças. O país concentra a terceira maior população mundial de pets. São 55 milhões de cães, quase 25 milhões de felinos, perto de 20 milhões de peixes e o dobro disso em aves, e 2,5 milhões de répteis e pequenos mamíferos, segundo o Instituto Pet Brasil.

Em faturamento, o país ocupa a quarta posição no mercado global, de US$ 131,3 bilhões, quase empatado com Reino Unido, e atrás de Estados Unidos e China.

 NOVO MEMBRO DA FAMÍLIA
Os animais de estimação se tornaram o novo integrante da família e com isso, incorporaram certos hábitos. “Tenho visto os animais mais bem cuidados, escovados, com roupas novas”, afirma a veterinária Joyce Coelho.

Brinquedos, petiscos e produtos de higiene e bemestar entraram na lista de itens obrigatórios para cuidar dos pets. Só no primeiro trimestre deste ano, a venda online teve alta de 65% em relação ao ano passado, somando quase R$ 2,5 bilhões. Boa parte em mimos. Os tutores e donos buscam oferecer rações e petiscos de qualidade, alimentação saudável, ingredientes sustentáveis, naturais e até mesmo veganos. As carícias, os cuidados e as brincadeiras aumentaram, é verdade, mas também as guloseimas.

ELES TAMBÉM ENGORDARAM

Foto: Reprodução/Internet

“Os animais engordaram porque pararam de passear por um tempo e porque as pessoas estavam comendo mais e dando mais comida a eles também”, diz Joyce, que trata com acupuntura os problemas ortopédicos de pacientes a veterinários, principalmente cães, gatos e cavalos. Mas já aliviou dores de macaco, leão, arara, iguana, cobra, galinha, coelho, tamanduá, coruja e porquinho da Índia. “O engraçado é que eles percebem que estou tratando e são gratos por isso”, conta.

Viver com cães e gatos ajudou a enfrentar os tempos de pouca mobilidade. Segundo os especialistas, o convívio com um cão ou gato com quem temos vínculo afetivo nos faz liberar hormônio que reduz o estresse e aumenta o nível de endorfinas, responsáveis pela sensação de bem-estar.

BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE
Estudo realizado em abril analisou como o isolamento social afetou o  vínculo entre pessoas e animais. A pesquisa publicada na revista  Journal of Veterinary Behaviour  com base em 1.300 respostas deixa claro que ter um mascote traz benefícios para a saúde mental, emocional e física.

A interação com os animais faz parte da essência humana desde os primórdios, como mostram as pinturas rupestres. Na atualidade, o contato com pets ajuda a controlar o medo, a agressividade, os sintomas de depressão e flutuação de humor. Também favorece a empatia, o desenvolvimento cognitivo e reforça o sistema imunológico. Como não se emocionar com as histórias de animais que ganharam novos lares? Ou então aqueles que aprenderam a se comunicar, a demonstrar gratidão, reconhecer momentos de tristeza e expressar, com uma simples lambida, que nada melhor do que viver o presente.

NO MUNDO
O varejo global movimentou US$ 131,1 bilhões em 2019 1,6 bilhão é a estimativa de animais de estimação existentes no planeta, sendo 40% deles peixes ornamentais

O Brasil é o quarto maior mercado pet do mundo, quase empatado com a Inglaterra, atrás de Estados Unidos e ChinaNo Brasil existem 141,6 milhões de animais de estimação e o faturamento da indústria de alimentos, produtos e serviços de cuidados veterinários e acessórios de bem-estar animal foi de R$ 35,4 bilhões em 2019

Animal de estimação é todo aquele criado para convívio com seres humanos por razões afetivas com as seguintes destinações: terapia, companhia, lazer, auxílio a portadores de necessidades especiais, esportes, ornamentação, participação em torneios e exposições

PET&CO
O setor pet está dividido em 4 segmentos:
•Pet Food (alimentação para animais de estimação)
•Pet Care (cuidados para o animal doméstico)
•Pet Vet (serviços veterinários)
•Pet Serv (outros tipos de serviços à disposição)

No país há mais 32 mil estabelecimentos de comércio para pets. A maior parte está na categoria loja de vizinhança (79,6%), com faturamento entre R$ 60 mil e R$ 100 mil e até 4 funcionários.

Empregos do setor geram renda a 2,4 milhões de pessoas, incluindo criadores de animais e profissionais com alta qualificação.

As principais espécies de pets são:
• Cães
• Gatos
• Aves canoras e ornamentais
• Peixes ornamentais
• Pequenos mamíferos e répteis

Rosi Meri Souza
A Luna fica comigo 24 horas por dia, não se separa nunca. Nos três meses em que meu salão de beleza ficou fechado, ela fez muita companhia, assistia séries deitada ao meu lado, foi a melhor coisa. Costumo dizer que cachorro é parte da família, preenche nosso coração porque está sempre junto com a gente, na alegria ou na tristeza. Eles não abandonam você por nada.

Minhas filhas estão adultas e já não moram mais em casa, comigo e com meu marido. Jack é nosso mais novo filhote, e a preocupação é dobrada porque ele come tudo o que vê pela frente. Tenho a impressão de que comeu cabelo, e por isso passou mal um dia desses. Quando vou ao salão trabalhar, os dois me acompanham. Se tenho de sair, Luna não desgruda da porta, à minha espera. É muita alegria, uma grande parceria.

Regina Abid
Meus filhos Valentina, de 6 anos, e Guilherme, de 9, estavam sentindo falta do abraço dos avós, dos amigos, e viviam pedindo um animal de estimação. Só que elas tinham medo de cachorro e eu tinha alergia. Entre o medo e a paixão, chegou a Nevinha.

Na primeira semana, tive de fazer inalação a cada 1 hora e tomar antialérgico diariamente para poder segurar a Nevinha no colo. Ela é nosso equilíbrio em meio a tantas incertezas.

Trouxe rapidamente amor e harmonia em nossa família. Todo esforço de enfrentar minha alergia foi, sem dúvida, recompensado. Eu era o empecilho para não termos um cachorro em casa, e enfrentar a alergia e o medo foi a cura.

Marina Justino
Tem muito cachorro abandonado e queríamos resgatar um que precisasse de família. Procurei uma ONG para adoção, preenchi questionário com o perfil da casa e me mandaram o vídeo de uma filhotinha que tocou meu coração. Fui conhecer, abracei e ela ficou quietinha. Uma semana depois fui buscar Eva. É uma vira-lata encantadora, que foi resgatada com dois meses e meio.

Ainda estamos na fase de adaptação, ela não dorme bem porque insistimos para não dormir dentro de casa. Tem que educar como filho. Para fazer a adoção, montamos até enxoval com roupa, cadeirinha.

Eva amoleceu o coração e resgatou todo nosso amor, amor que só cresce. Aprendi a amar. E para retribuir, estou sempre dando um novo petisco.

Sandra Komatu
As pessoas estão prestando mais atenção em seus animais de estimação, interagindo mais. Muitos chegam na clínica veterinária dizendo que nunca tinham percebido que o animal mancava ou tinha uma verruga.

Aumentou o número de consultas de aves também. Estamos mais carentes, e encontramos no pet uma solução de relacionamento. Muita gente tem se interessado por adotar animais, e querem os sem raça definida, ou SRD.

Os cães estão adorando os humanos em casa. Já os gatos, nem tanto.

Katia Kasuco
Meu marido queria um cão de porte grande e importamos Thunder e Sakura da Romênia. Sakura é protetora e mais ciumenta. Por incrível que pareça, se a gente está conversando, ela começa com um latido tranquilo, mansinho, como se quisesse participar.

Aprendi a conhecer mais os dois. Quando quer algo, Thunder chega perto, senta e olha para sua cara. Sakura coloca a pata na perna da gente e pede para passear. E olham para o armário pedindo comida.

Não dá para imaginar a vida sem eles, é um amor incondicional. Nos últimos meses temos brincado mais. Deixamos até subir no sofá, antes eles só ficavam lá fora.

Tatiana Yoshino
Nina chegou em casa porque meu filho viva pedindo a companhia de um cachorro. Hoje ela é minha filha caçula. Só vamos onde ela é aceita. Os lugares dizem que são petfriendly, mas na verdade não são. Dizem que aceitam, mas querem que o cachorro durma no canil. Aceitar animal é quando ele pode ficar do nosso lado. A família já sabe, se Nina não puder ir, nós não vamos.

Nina é grudadinha, onde vou, ela vai atrás, é minha sombra. Sempre foi mimada, fresca, meiga. Falo com ela como se fosse um bebê.

Nesse tempo em casa, percebo que ela deu uma engordadinha porque a gente oferece mais comida.

Debora Ximenes
Como voluntária, já resgatei muitos animais que sofriam maus tratos e foram tratados em lares temporários antes da adoção. Fiquei com quatro cachorros e dois gatos, não dá para ficar com todos. Milka é a mais grudada, mais carentona. Os outros são independentes.

Ela se tornou minha sombra, minha protetora. Se fico triste, ela senta do lado e coloca a pata para chamar minha atenção. O negócio dela é participar. Dudu foi resgatado da rua, Zara foi envenenada três vezes pelo dono e Suzi era maltratada por um morador de rua.

O animal resgatado tem uma gratidão no olhar que é diferente de outros animais. É uma gratidão de outro mundo.

Monica Samaha
Paçoca e Pipoca são nossos filhos de patas, mas não ficam dentro de casa. Eles pegam almofada e calçado e saem correndo, são bagunceiros. Meus filhos pediam há tempos um cão pequeno para brincar. Assim veio o Thor. Os golden brincam com ele como se fosse um mosquito que late. Passamos mais tempo em casa brincando e falando com eles do que antes, na vida doida que a gente levava, e passeamos muito mais.

Para eles não tem tempo ruim, eles percebem se você está mais pensativa, angustiada ou ansiosa.

Eles estão felizes o tempo todo, e só querem carinho. Cachorro só falta sorrir, a expressão corporal é toda alegria. É uma energia que faz você redimensionar as prioridades da vida.

Joyce Coelho
Além de veterinária, sou mãe de 4 gatos, 1 tucano e 2 cavalos. Cavalo está no sangue, meu bisavô era fazendeiro, meu pai louco por cavalos. Hoje tenho o Billy, que fiz o parto, e o Elvinhos, por quem me apaixonei loucamente e ele por mim e acabei comprando. Não sou criadora. Gatos são espetaculares, tive mais de 100. São viciantes.

As pessoas têm preconceito, é comum escutar que são traiçoeiros, não gostam do dono, só da casa. Mentira. Meus gatos dormem comigo, andam na coleira, atendem pelo nome, são um carinho só.

Cães acham que são gente, gatos têm certeza que são deuses.

Isa Ferrari
Sou contra comprar animais, ganhei Spiker com 20 dias e dava mamadeira de 3 em 3 horas, igual bebê. Minha filha ganhou a Jade de amigos, com um ano e meio. Quando você adota um animal, parece que ele agradece. Ela é super dócil, ao contrário do que era na outra família. Eles são meus filhos, dão só amor. Onde a gente está, eles querem ficar.

O cão presta atenção nas suas emoções e sente quando você não está legal. Fica sentado do lado, dá a patinha, lambe, deita a cabeça no colo, pede carinho como quem diz, olha, eu estou aqui.

Comprei um ursinho de pelúcia para cada um. Estamos prestando mais atenção neles, se deitam no chão frio, logo alguém busca a caminha. Antes eles ficavam no andar de baixo, agora sobem para assistir filme em família.

Nathália Ferrazoli
A vida toda tive cachorro, e quando o último morreu de velhice, prometi que nunca mais teria um bichinho porque a gente se apega. Até que minha vizinha, que é veterinária, resgatou duas gatinhas, e fiquei com elas. É um amor sem fim.

Me identifiquei com gatos. As pessoas falam que gato é frio, fica na dele, mas não é nada disso. Elas são extremamente companheiras, carinhosas, brincalhonas. Só não ficam tão em cima de você o tempo todo. Quando se aproximam, é só carinho.

Minhas gatas são muito conectadas, até mais do que cachorro. São sensíveis à energia, ao sentimento. Quando não me sinto bem, elas se aproximam e se deitam em cima de mim. Claro que de vez em quando arranham o sofá, mas nada que não dê para contornar com um brinquedinho.

Ana Gabriela Riccó Ramos
Trabalhei durante 20 anos com gestão de pessoas. Abandonei tudo para ficar com os animais. Em 2016 me tornei sócia investidora em um espaço veterinário. Depois apareceu a oportunidade de criar o Gabichos Zen & Cia, com estrutura para banho, tosa, pet butique, creche para cães e gatos e clínica para animais silvestres, na Alameda Araguaia, 272.

Criamos uma estrutura com 18 médicos especialistas porque existe hoje um trabalho avançado de estudo e pesquisa de especialidades veterinárias. Assim como nós, eles sofrem de doenças específicas. A saúde e o bem-estar dos animais domésticos passaram a ser prioridade. Antes eles eram tidos como objeto. Sou mãe de três cachorros, a Pepa foi a primeira que resgatei, e o Bipo foi o último. Eles são eternamente gratos por isso, parece que olham no fundo do olho e agradecem. Tenho como sobrinhos o Passarinho, Lilica, a coelha, e Hazel, uma golden retriever, mas já resgatei lagarto, pássaro, iguana, tartaruga e até saruê, uma espécie de gambá.

Costumo dizer que para lidar com animais é preciso paciência, amor e carinho. A inteligência deles depende da forma de estímulo. Eles são seres inteligentes, sentem fome, frio, têm sentimento. São seres vivos irracionais e nós, humanos, somos o elo racional dessa relação.

Bem no MEIO da sala
O mecanismo de buscas Google implantou novos recursos de realidade aumentada para trazer para dentro de casa, e em tamanho natural, animais pré-históricos e uma variedade de outros bichos. Tigre, tubarão, urso, lobo, águia, gato, crocodilo, cachorro, as opções são inúmeras. A função 3D pode ser acionada diretamente no buscador. Siga as instruções do vídeo ao lado para fazer sua própria viagem ao maravilhoso mundo animal.

Comentários

WORDPRESS: 0
Já está indo embora :´(
Assine nossa newsletter antes, e receba as noticias de Alphaville e região ; )