O Rei dos Vinhos, o Vinho dos Reis

Divulgação

Os vinhos Italianos mais conhecidos são certamente os da região da Toscana, com seus belos Chiantis, Brunellos e Super Toscanos.

Mas poucos sabem que o título de “Rei dos Vinhos” pertence ao Barolo, vinho originário da região de Piemonte, província de Cuneo no noroeste do país.

Sua zona de produção compreende a cidade de Barolo, que deu origem ao nome do vinho, e mais 10 cidades vizinhas. A origem da produção deste vinho está ligada a Família Falletti, então Marqueses di Barolo que tornaram este o vinho preferido das cortes. 

Há registros na história de que o cultivo de Nebbiolo, no Piemonte, começou em torno de 1235 D.C, porém, nessa produção eram utilizadas técnicas inadequadas, o que resultava em um vinho inconstante, porém doce e leve. Essa produção fez com que a nobreza italiana procurasse com os vinhos franceses, conhecidos por sua alta qualidade.

Em determinado momento a Marquesa Falleti di Barolo, uma francesa naturalizada italiana, se casou com Carlo Tancredi Faletti di Barolo, nada menos que o dono do palácio Barolo. Mesmo sendo francesa, ela não aceitava a preferência dos italianos pelo vinho francês, logo, contatou um dos enólogos mais importantes da época, o Louis Oudart, para ajudá-la na produção do vinho italiano.

Essa movimentação resultou em um vinho conhecido por seu sabor singular, que tem origem na quantidade de taninos presentes em sua composição, o que o torna intenso e concentrado.

O vinho Barolo é produzido a partir da uva Nebbiolo (que também produz os vinhos Barbaresco). Seus vinhos são encorpados, com personalidade e alto teor alcoólico, se tornando elegantes e complexos com o envelhecimento. Dizem que seu nome é ligado a “neblina”, tanto por sua coloração acinzentada como pelas características climáticas de Piemonte

De acordo com as regras da DOCG, um Barolo precisa envelhecer pelo menos 2 anos em barris e 1 ano em garrafa. E para receber a denominação de “Riserva”, é necessário um envelhecimento por no mínimo 5 anos, sendo 3 deles em barril.

Na boca é austero e encorpado. Embora possa ser consumido ainda jovem, o Barolo tem um grande potencial de envelhecimento atingindo sua plenitude em geral após 10 anos, apresentando notas de cereja, trufas, terra, rosas e alcatrão.

Um belo Barolo acompanhando carnes de caça, ossobuco de vitela e receitas à base de trufas tornarão sua experiencia inesquecível!

Recomendo 2 grandes Barolos que provei recentemente e estão espetaculares para tomar agora (decantando sempre por pelo menos 1 hora) ou guardar por muitos anos:

Barolo Gianni Gagliardo 2014  – R$ 590

Barolo Paolo Scavino 2017 – R$ 685 

Dúvidas e sugestões: sidnei@tonel55.com.br | Tel.: (11) 99175-7799 | www.tonel55.com.br

Comentários

WORDPRESS: 0
Já está indo embora :´(
Assine nossa newsletter antes, e receba as noticias de Alphaville e região ; )